sábado, 25 de junho de 2011

Orientação nutricional para atletas em dias de competições de natação

Orientação nutricional para atletas em dias de competições, fornecidos pela Nutricionista Fernanda Sansone

Autor: CPN - Online

NUTRIÇÃO E ATIVIDADE ESPORTIVA
A alimentação de um atleta é diferenciada dos demais em função do gasto energético elevado e da necessidade de nutrientes que varia de acordo com o tipo de atividade, fase de treinamento e momento de ingestão.
Os atletas necessitam de um aporte maior de carboidratos, que compõem o glicogênio muscular que é, por sua vez, o principal substrato energético utilizado durante o exercício. Como os estoques musculares e hepáticos de glicogênio são limitados, a reposição de carboidrato deve ser feita de forma constante, mesmo durante a atividade para garantir um bom rendimento.
A ingestão de proteínas pode variar de acordo com o tipo de atividade, mas deve manter a proporção máxima de 15% do valor calórico total, para garantir sua capacidade plástica. A proporção de lipídeos diminui em função do aumento da proporção de carboidratos.
Vale ressaltar que essas condutas são generalizadas, haja vista que cada esporte implica necessidades diferenciadas e cada momento do dia do atleta exigirá um determinado nutriente predominante.
O aporte vitamínico e de minerais exige alterações no que diz respeito às vitaminas (C, E, betacaroteno) e minerais (selênio, zinco, cobre, ferro, magnésio) antioxidantes por participarem da neutralização de radicais livres gerados pela atividade tanto aeróbia quanto anaeróbia. O aumento da ingestão de vitaminas do complexo B também é necessário, pois elas são os principais co-fatores nas reações de geração de energia provenientes da degradação de carboidratos.
Nutrientes à parte, não se deve deixar de lado a hidratação do atleta: sem a reposição de líquidos, seu rendimento decresce significativamente. Em alguns casos, o consumo de água não é eficaz o bastante, sendo necessária reposição de minerais. O mais importante é evitar a desidratação e os grandes danos que ela causa à saúde.

ALIMENTAÇÃO PARA NATAÇÃO
O desempenho na piscina depende de vários fatores, como genética, treino, motivação e dieta. Infelizmente muitos nadadores não prestam atenção à dieta e, conseqüentemente, comprometem o desempenho. Fazer escolhas sábias na alimentação proporciona aos músculos o combustível apropriado permitindo que o atleta treine por mais tempo em melhores condições.
Carboidratos
Os carboidratos são a fonte de energia para os músculos. A dieta de um nadador deve ser composta por, pelo menos, 60% das calorias totais de carboidratos. As principais fontes são: pães, massas, arroz, cereais, frutas e vegetais. Nadadores que treinam diariamente devem adotar uma dieta rica em carboidratos, com 300 a 500 gramas por dia ou 7 a 10 gramas por kilo de peso corporal.
Nutrição antes da natação
O tipo de alimento ingerido antes da competição influencia na maneira como o nadador vai atuar na água. De 2 a 4 horas antes, o atleta deve ingerir de 2 a 4 gramas de carboidrato por kilo de peso corporal. O tipo de carboidrato pode ser: complexo (massas, arroz, cereais, pães) ou simples (frutas, doces, mel e açúcar). Isto significa que ele pode comer uma refeição completa. Uma hora antes da competição é fundamental evitar o consumo isolado de carboidratos simples (frutas, doces, mel e açúcar).
Nutrição durante exercícios ou competição
Para melhorar o desempenho em treinamento com duração superior a 60 minutos, o ideal é fornecer de 30 a 50 gramas de carboidrato por hora (a partir dos 30 primeiros minutos), dividido em 3 doses, a cada 20 minutos. Quando consumido na forma de líquido, a bebida contendo carboidratos não deve ter uma concentração maior que 6 a 8%. Isso porque bebidas mais concentradas demoram mais tempo para sair do estômago, o que não é interessante.
OBS.: Diluição a 6%: em 200ml de água, acrescentar 12 gramas de carboidrato.
Diluição a 8%: em 200ml de água, acrescentar 16 gramas de carboidrato.
Nutrição pós piscina
Um nadador deve consumir 0,5 a 1,5 gramas de carboidrato por kilo de peso corporal, dividido em 3 lanches nas 4-6 primeiras horas após o treino. Isso ajudará a repor os níveis de energia muscular (glicogênio). Esse é também o melhor horário para comer um doce rico em açúcar e com pouca gordura.
PROTEÍNAS
A proteína deve somar de 10 a 15% do valor calórico total da dieta. As proteínas são importantes para construção e manutenção dos tecidos, formação de enzimas, hormônios, anticorpos, no fornecimento de energia e na regulação de processos metabólicos. Os alimentos fontes são: carnes em geral, frango, peixes, miúdos, leite e derivados e leguminosas. Ela deve ser consumida distante dos horários de treino e de forma fracionada, isto é, em várias refeições para que haja um melhor aproveitamento de aminoácidos pelos tecidos, principalmente o muscular. O consumo elevado de proteínas pode provocar, dentre outras coisas, perda acentuada de cálcio; o que não é interessante para crianças em fase de crescimento.
LIPÍDEOS (Gorduras)
Da mesma forma que as proteínas, os lipídeos podem aumentar em valor absoluto de acordo com o tipo de atividade e a intensidade; porém devem ficar entre 15 a 30% do valor calórico total da dieta. As gorduras são facilmente visualizadas em alimentos como as carnes ou mais escondidas nos leites e cremes (onde se encontram em suspensão). Como os alimentos protéicos, os alimentos ricos em gorduras não devem ser consumidos próximos das provas ou treinos.
VITAMINAS E MINERAIS
Atividades muitos prolongadas aumentam a produção de radicais livres pelo organismo, os quais são responsáveis pela destruição de células. As vitaminas antioxidantes (Vitamina C, E e betacaroteno) são essenciais para evitar os danos causados pelos radicais livres nas células. Além disso, a vitamina A é ótima para o sistema imunológico, e o complexo B é muito importante para o metabolismo oxidativo energético (produção de energia) e para o sistema nervoso central, onde sua falta compromete o desempenho do atleta em função de alguns acontecimentos como: fraqueza, dores musculares, sensação de falta de energia, confusão mental, queda do rendimento aeróbio, degeneração de fibras nervosas, náuseas, falta de apetite, depressão e anemia.
Os minerais são importantes para integridade óssea, manutenção do ritmo cardíaco normal, contração muscular, captação de oxigênio, condução de impulso nervoso, balanço ácido-básico dos fluidos corporais e composição de enzimas e hormônios. As vitaminas e os minerais são encontrados nos legumes, nas verduras e nas frutas.
HIDRATAÇÃO
Perdemos água pela respiração, suor, urina e fezes. No atleta, a via mais acentuada de perda de água é o suor, que chega a representar de 5 a 7% do peso corporal.
Quando sentimos sede, já estamos desidratados.
Perda de 2% do peso corporal: manifestação de sede
Perda de 4% do peso corporal: diminuição da capacidade de hidrólise e do desempenho
Perda de 7% do peso corporal: comprometimento plasmático
Perda de 9% do peso corporal: risco de colapso
Perda de 10% do peso corporal: risco de morte
Em um indivíduo desidratado, ocorre diminuição do volume plasmático com aumento da concentração de sódio e potássio. Todos os eletrólitos ficam mais concentrados e pode acarretar débito cardíaco, diminuição do sangue para os tecidos e diminuição da performance.
Segundo o “American College of Sports Medicine” a reposição de quem pratica exercícios deve ser da seguinte forma:
. 2 horas antes: 500ml de líquidos
. a partir de 1 hora de exercício: 600 a 1200ml de líquidos por hora
. carboidratos: essencial como repositor energético e para retardar a fadiga
. concentração de carboidratos: 6 a 8%
. concentração de sal: 1/3 col. (sopa) por litro de água
. hidratar a cada 15 a 20 minutos
ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL
NOS 3 DIAS QUE ANTECEDEM O EVENTO
• Ingerir com freqüência água, água de coco e sucos diluídos;
• Evitar alimentos novos e muito condimentados, para evitar “revertérios”;
• Aumentar o consumo de alimentos ricos em carboidratos, principalmente os complexos, sem aumentar o consumo de gordura.
Carboidratos complexos: cereais (milho, arroz), leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico, ervilha), frutas frescas; hortaliças, raízes (mandioca, batata, inhame) pão francês/integral/de fôrma, bisnaguinhas, macarrão, barras de cereais, bolos simples (sem recheio e sem cobertura), bolachas simples (sem recheio).
NO JANTAR DA NOITE ANTERIOR
• Evitar o consumo de alimentos muito gordurosos como frituras em geral, chocolate, salgadinhos e bolachas recheadas, doces etc;
• Evitar café, pois a cafeína prejudica o sono e a recuperação, além de demorar 6 horas para ser eliminada do organismo.
• Exemplo de um jantar: salada crua + legumes + arroz/feijão + carne/frango/peixe assado/cozido/grelhado + fruta/gelatina/saladadefruta OU salada crua + macarrão com molho de tomate + batata assada/cozida + carne/frango cozido/assado/grelhado + fruta/gelatina/salada de fruta

NO DIA DO EVENTO
Se a competição for no período da manhã
Procure tomar o café da manhã que você está habituado, não introduza alimentos que você não tem costume de comer.
Opções de alimentos:
. suco de fruta / leite com pouco achocolatado
. pão francês / de fôrma / integral / bisnaguinha / cereais matinais
. pouca quantidade de manteiga, requeijão ou frios (peito de peru, queijo branco/presunto magro, etc)
. frutas e salada de frutas
Esse café deve ser tomado pelo menos 1h30` antes da prova.
Se o intervalo entre o seu café da manhã e a prova for maior do que 2h30`, procure comer 2 bolachas simples e não se esqueça da hidratação.
Após a atividade física é necessário repor o que foi perdido. Ingerir bastante água ou água de coco ou suco de frutas e comer, principalmente, fontes de carboidratos como: pão simples, bolachas, frutas com aveia e mel, cereais matinais, macarrão, arroz, batata. Se quiser comer algum doce (mais açúcar do que gordura), esta é a melhor hora. Mas não faça isso sempre.

Se a competição for no período da tarde
Procure comer normalmente no período da manhã.
Almoce, pelo menos, 2h antes da prova e também não coma nada diferente do que você está habituado.
Opção de almoço:
. legumes e verduras em pequenas quantidades (antes da prova)
. arroz / batata / macarrão com molho de tomate
. feijão / lentilha / grão de bico / soja
. carne / frango / peixe assado / grelhado / cozido (em pequenas quantidades)
. fruta / gelatina / salada de frutas
Se o intervalo entre o almoço e a hora da prova for maior do que 2h30`, procure comer 2 bolachas simples e não se esqueça da hidratação.
Após as provas siga a mesma orientação do período da manhã

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

TROFÉU GUSTAVO BORGES 2009

TROFÉU GUSTAVO BORGES 2009
UBERLÂNDIA MG

PAULISTA DE INVERNO 2009

PAULISTA DE INVERNO 2009
GUARATINGUETA

TORNEIO REGIONAL 2010

TORNEIO REGIONAL 2010
NATAÇÃO-RECRA, RIB PRETO

EQUIPE DE NATAÇÃO 2012

EQUIPE DE NATAÇÃO 2012
LOCAL DA FOTO: RECREATIVA - RIBEIRÃO PRETO